Falta de sono na adolescência pode acelerar o surgimento de Alzheimer

São Paulo – A falta de sono durante a adolescência e o início da idade adulta acelera alterações em proteínas do organismo que estão relacionadas ao surgimento da doença de Alzheimer, doença degenerativa neurológica que pode comprometer de maneira permanente importantes funções cerebrais, como memória, linguagem, cálculo e comportamento. A relação é apontada em um estudo publicado pela…

Palavras cruzadas utilizadas na conscientização da doença de Alzheimer

Para quem convive com o Alzheimer, algumas perguntas que antes pareceriam simples podem se tornar extremamente complexas. Uma ação de conscientização promovida pela organização sem fins lucrativos Alzheimer’s Foundation of America pretende colocar outras pessoas no lugar de quem já perdeu a capacidade de responder a estas perguntas. Para isso, foi lançada uma série de palavras cruzadas…

De sedentarismo a ensino médio incompleto: nove fatores sociais que aumentam risco de demência, segundo estudo

Um em cada três casos de demência poderia ser evitado se mais pessoas cuidassem da saúde do cérebro ao longo da vida, segundo um estudo internacional publicado no periódico científico Lancet. A pesquisa, apresentada na Conferência da Associação Internacional de Alzheimer, lista nove importantes fatores de risco para a condição, incluindo perda de audição, isolamento social,…

Mãe…

Mãe é cheiro de café passado na hora com bolo no fim da tarde. É abraço quentinho e apertado daqueles que fazem o mundo parar. É aquele conselho que a gente tá cansado de saber mas que quando sai da boca dela o mundo parece mais fácil. É a salvação quando tudo parece desabar na…

Passar muito tempo sentado pode aumentar chances de Alzheimer, diz estudo

Quando estamos no trabalho, ou em casa, podemos não nos dar conta que estamos passando muito tempo sentados. Alimentar este hábito sedentário é prejudicial para a nossa saúde fìsica, pois afeta nossa postura e nos torna menos dispostos no dia a dia. E agora, um novo estudo realizado pela Universidade da Califórnia, mostra esse comportamento levam a doenças cardíacas,…

“As memórias afetivas, como o afeto pelos familiares, parecem estar armazenadas à parte e são das últimas atingidas pelo alzheimer”

Em entrevista à jornalista Emília Caetano, do VISÃO, o Prêmio Nobel da Medicina, John O’Keefe, avança uma hipótese para explicar porque as memórias afetivas são as últimas a serem atingidas pelo Alzheimer: “Talvez por estarem numa zona específica do cérebro” Professor de Neurociência Cognitiva na University College London, John O’Keefe nasceu em Nova Iorque, em…